Fotos

Esta seção contém as fotos de alguns momentos que marcaram a realização dessa experiência nas dependências da Penitenciária Semiaberta de Vila Velha - ES.

Ambiente de aula

As aulas ocorreram em um espaço improvisado, já que a Unidade Prisional não possuía laboratório de informática. Todos, alunos e professor, dividiam uma grande mesa na realização dos trabalhos. Os alunos foram divididos em duplas e acompanhavam as aulas projetadas no quadro.

Programando a montagem do quebra-cabeça

Atividade que consistia em montar um quebra-cabeça utilizando os blocos da ferramenta Scratch. Os blocos necessários foram entregues aos alunos que deveriam organizá-los e colá-los em uma folha de papel. Após montado, os estudantes deveriam programar o quebra-cabeça no Scratch.

Programando o Pac-Man

Aluno programando um jogo que foi inspirado no clássico dos anos 80, Pac-Man.

Mensagem de fé e esperança

Diante do desejo manifestado pelos estudantes, a partir do terceiro dia, antes do início de cada aula, os estudantes passaram a assistir também uma curta mensagem de fé e esperança.

Vencendo o analfabetismo digital

Diante do primeiro contato com um computador e da impossibilidade de utilizar qualquer tipo de material escolar nas celas, um dos alunos anotava no próprio corpo o nome de algumas teclas (teclado) para que um companheiro de cela lhe ensinasse a função de cada uma delas. Verdadeiro exemplo de dedicação.

Superando a falta de recursos

Diante da falta de recursos, aluno usou a criatividade e improvisou na própria bermuda seu caderno, anotando as principais habilidades do pensamento computacional trabalhadas durante o curso.

Chute a Gol

Animação que marcou o término da primeira oficina, onde um jogador corre e chuta uma bola ao gol.

Jogo Final

Parte da estratégia de gamificação adotada no curso, aqui os alunos participaram de um jogo de sorte, construído na própria ferramenta Scratch. A premiação consistia em algumas guloseimas que foi dividida entre a turma.

O pensamento computacional nas celas

"Caderno" e "caneta" improvisado pelos alunos com tampas dos potes de refeições e pedaço de vassoura piaçava enrolado em linhas de lençol. Dessa forma, os alunos trabalhavam o pensamento computacional também nas celas.

Presente para o professor

Presente entregue pelos alunos ao professor como forma de retribuir a oportunidade recebida.

Momento de agradecimento

Momento de agradecimento pela realização dessa experiência.

Certificação

Com a conclusão do curso, os alunos foram certificados pelo Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). Momento que contou com a presença de representantes da Unidade Prisional, da Secretaria de Estado da Justiça do Espírito Santo e do Instituto Federal do Espírito Santo.